El Reloj Sin Agujas

Minha foto
Levei muita rasteira de mim mesmo e dos outros até começar a entender como as coisas funcionam, mais ou menos, dentro da nossa cabeça... Daí, percebi também que as pessoas não são tão diferentes umas das outras. Foi à custa de muitos tapas na cara que sei o quase-nada que sei hoje sobre mim mesmo. (...) Já franzi muito a testa até aprender a relaxar e parar de negar coisas óbvias como: Papai Noel não existe, nem o Coelinho da Páscoa, meu pai não é meu herói, nem minha mãe é uma santa, minha irmã não é mais virgem, meu irmãozinho não é tão 'zinho', meus conhecidos não são meus amigos, e meus amigos são mais que simples amigos. É ruim aceitar de verdade que eu não sou a melhor pessoa do mundo, nem sequer a mais bem intencionada... Sou uma mistura de reticências e etcétera. Quem sabe, um angiograma ou um angiosperma. Para alguns, uma úlcera.

domingo, 13 de junho de 2010

TACONES LEJANOS

De salto eu grande
Eu alta eu pequena
Seja menina ou um simples de cabelos grandes poema
Uma menina mulher
Seja ela o que quer
Fica lá fica cá
Vai e volta
E dança e encanta
Ela brinca
Ela samba
Respira Buenos Aires
Fala espanas canções
De brotos botões
Palomas e plumas
De águas e brumas

Para Palomita Toimil.
Fortaleza, junho de 2010.

Um comentário:

  1. Clifton, alma sensível e encantadora, de delicadeza suprema e amor à arte. Meu amigo lindo! Para sempre sua, Paloma.

    ResponderExcluir